Matrimônios Unificacionistas discutido em Evento da Imprensa

12 de março de 2012

 Rev. Phillip Schanker, diretor do Ministério Família Abençoada, presidiu a conferência de imprensa.

O psicólogo e ministro da Igreja Metodista Unida Robert Epstein relatou sobre o sucesso de matrimônios arranjados em uma conferência de imprensa intitulada “Porque Matrimônios Arranjados Funcionam” no Hotel New Yorker no dia 12 de março de 2012. O Rev. Phillip Schanker, diretor do Ministério da Família Abençoada dos EUA, facilitou o evento como o mediador. Um video intitulado “O Poder do Amor Verdadeiro” apresentou os testemunhos do Pastor T. L. Barrett e seu filho, que falaram sobre os efeitos curativos da cerimônia da Bênção do Matrimônio em seus relacionamentos conjugais em momentos de dificuldade, para uma platéia de cerca de 50 pessoas. A conferência também ouviu testemunhos de quatro candidatos locais para a Bênção do Matrimônio.

O Dr. Epstein disse na reunião: “Minha pesquisa, a qual tenho conduzido desde 2003, sugere que os matrimônios arranjados na Igreja de Unificação funcionam tão também quanto os matrimônios arranjados em outras culturas, e certamente muito melhor do que a média dos matrimônios tradicionais nos Estados Unidos. Com os matrimônios tradicionais inspirados em Hollywood em falência nos EUA, acredito que precisamos dar uma olhada de perto em outros modelos mais bem sucedidos para o matrimônio. A Igreja de Unificação e outros matrimônios arranjados podem começar a nos ensinar sobre a possibilidade de criar matrimônios nos quais duas pessoas se comprometem em trabalhar juntas ao longo do tempo para criar laços mais fortes – para edificar um amor que fica mais profundo ao longo dos anos.”

Considerações do Rev. Luonne Rouse

O Rev. Luonne Abram Rouse, ministro da Igreja Metodista Unida, disse que “A intenção original de Deus era o amor verdadeiro.”

O Rev. Rouse, um ministro da Igreja Metodista Unida, assumiu o palco como o primeiro dos oradores e disse: “Deus criou o mundo, e Ele nos deu a sacralidade da família que está representada no primeiro homem e primeira mulher. A validade da missão do Rev. Dr. Sun Myung Moon é nos retornar à intenção original de Deus que é vista no início, e que foi perdida na Queda.

“A intenção original de Deus era o amor verdadeiro. Amor verdadeiro produz uma família que se move na santidade de Deus ao invés de seguir os ditames da sociedade. Em outras palavras, devemos ser pessoas que se unem em nossos matrimônios, não por causa da socialização, mas por causa da Bênção Sagrada. O Dr. Moon, a quem muitos de vocês aqui hoje encontraram para ser o homem que é chamado de Pai Moon, representa com a Sra. Moon a verdadeira paternidade que Deus deseja para nós neste mundo. Esta missão traz sua intenção dentro das Bênçãos sagradas de nosso matrimônio. Eles trazem os indivíduos a um pleno entendimento que as pessoas estão juntas não porque elas designaram seu próprio matrimônio e união, mas porque sua união e matrimônio foi designado por Deus.

“Quando testemunhei de perto a Bênção aqui em New York, quando o Pai e Sra. Moon estavam aqui, eu fiquei hipnotizado ao ver milhares de pessoas que se reuniram buscando verdade, buscando ser Abençoadas nessa verdade, para que elas tivessem a esperança de ser sustentadas em seus relacionamentos. Em minha mente, eu estava passando através do que tinha acontecido ao longo dos anos da minha maturidade como adulto na década de 70, quando entendi pela primeira vez sobre a importância da família e dos matrimônios. Nossos casamentos somente mostravam uma taxa de divórcio de cinco por cento, não mais, e em algumas comunidades, não mais do que 12 por cento. Hoje, podemos ver dentro de qualquer de nossas comunidades cerca de 50 por cento de nossos matrimônios sendo destruídos. Quando vi a Bênção, vi a esperança para o futuro de gerações retornando novamente para o valor da família, abençoados por aqueles chamados e ungidos com a missão por Deus.

“Somos abençoados por saber que Deus chamou um jovem homem [o Rev. Moon] anos atrás para representar a verdadeira intenção de Deus nos anos que estão à frente de nós agora. Isso é o que eu encontrei no Rev. Dr. Sun Myung Moon. Esse é o motivo pelo qual minha esposa Maria e eu, no dia 10 de outubro de 2010, participamos na sacralidade do chamado de Deus para um homem e uma mulher, para ser abençoados por um homem e e uma mulher que conhecem a intenção de Deus.”

O Rev. Schanker seguiu as palavras do Rev. Rouse para esclarecer: “Como vocês podem perceber, a partir da participação do Dr. e Sra. Rouse, a visão do Pai e Mãe Moon para a Bênção nunca foi que este seria um rito de uma única religião, uma tradição somente da Igreja de Unificação. Começando em 1992, a Bênção foi oferecida para pessoas de todas as crenças, e a participação das comunidades religiosas de todo o mundo, e de pessoas de todas as raças e fundamentos começou naquele tempo. Talvez a maior cerimônia realizada nos Estados Unidos foi em 1998 no Madison Square Garden. Um coral interreligioso se apresentou e Bênçãos foram oferecidas por líderes de muitas tradições e crenças, como é a tradição da cerimônia da Bênção do Matrimônio.”

Considerações do Dr. Robert Epstein

O psicólogo Dr. Robert Epstein explicou como o amor surge em “matrimônios de amor ” e matrimônios arranjados.

Em seguida o Dr. Robert Epstein passou a mostrar slides que ele apresentou em uma conferência científica pró-matrimônio organizada pelo Conselho Nacional sobre Relações Familiares alguns meses atrás.

“Eu fiquei interessado no tema sobre casamentos arranjados por causa do meu próprio fracasso em relacionamentos,” ele disse. “Essas não são apenas palavras – estamos falando sobre dor. Dor de verdade. Batalhas jurídicas sobre custódias. Por volta de 2002, eu estava tão farto com meu casamento – e experiências de namoro – que comecei a procurar outro lugar para mim mesmo. No início, era apenas para mim pessoalmente. Eu comecei a observar matrimônios arranjados, que não são muito conhecidos neste país, e me deparei com o que naquele momento parecia como uma ideia louca – um contrato de amor.

“Eu decidi que iria assinar um contrato com alguém que basicamente se comprometesse a não namorar ninguém mais por algum período de tempo, e aprender a amar um ao outro deliberadamente. Eu não tinha ideia do que estava fazendo. Mas eu sabia que havia muitos casamentos arranjados lá fora no mundo – mais de 100 milhões – e que ao menos em algum deles, as pessoas aprendem a amar.

“Eu escrevi um editorial de uma página sobre este experimento na Psychology Today. Eu não estava procurando por voluntários. Mas desde as seis horas da manhã seguinte até a meia noite, colegas jornalistas, produtores, agentes literários me contactaram. Mais de mil mulheres de seis países me enviaram cartas se propondo a serem voluntárias para assinar o primeiro contrato de amor.

Como o Amor surge em Matrimônios Arranjados

“Agora conclui o segundo de dois estudos sobre este tópico observando como o amor surge em matrimônios arranjados em 10 culturas diferentes. Eu fui contactado por um Unificacionista perguntando se eu tinha pessoas da Igreja de Unificação no estudo, e com certeza, das 52 pessoas que estudamos ao longo de anos sobre matrimônios arranjados, 15 estão na Igreja de Unificação. Isso é 28 por cento. Isso não foi deliberado de nossa parte, apenas aconteceu. Assim, fui capaz de observar sobre a emergência do amor em matrimônios arranjados na Igreja de Unificação em comparação com a emergência do amor em outros tipos de matrimônios arranjados em outras culturas.”

 “A questão é: podemos assumir controle sobre nossas vidas amorosas? Em um estudo anterior, eu olhei para mais de 30 pessoas em matrimônios arranjados e as entrevistei em profundidade. Estávamos tentando decobrir como estes relacionamentos funcionam, o que faz o amor crescer, até que extensão podemos assumir controle sobre o amor que sentimos em um relacionamento íntimo, se temos que deixá-lo mudar e deixá-lo morrer ao longo do tempo, o que tendemos a fazer em nossa cultura. Identificamos 11 fatores únicos que parecem contribuir para o crescimento do amor nesses matrimônios, e compromisso e comunicação surgiram como os dois fatores mais importantes. Compromisso acaba por se tornar extremamente importante, e posso dizer a vocês por quê.

“No estudo citado, estamos olhando para 36 diferentes fatores que possivelmente contribuem para o crescimento do amor. Ao menos metade dos matrimônios do mundo são arranjados. Na Índia, isto pode chegar perto de 95 por cento. O divórcio é legal lá, mas até recentemente, a Índia tinha a menor taxa de divórcio do mundo. Isto está mudando, infelizmente, e há pessoas muito preocupadas sobre isso. A mídia ocidental está tendo um impacto que está enfraquecendo esta instituição secular dos matrimônios arranjados. Há alguns matrimônios arranjados em algumas culturas que obviamente não funcionam muito bem. Eu acho que é razoável dizer que o amor emerge em provalmente metade dos matrimônios arranjados ao redor do mundo.

“Há ao menos sete estudos que tem comparado o amor em matrimônios de amor com o amor em matrimônios arranjados. Falando de forma geral, matrimônios arranjados superam em muito os matrimônios de amor. Um estudo na Índia feito por Gupta e Singh comparou o amor em matrimônio de amor com os matrimônios arranjados. O amor no matrimônio de amor começa bastante elevado e diminui gradualmente, principalmente porque as pessoas não sabem como mantê-lo. As pessoas o deixam ao acaso. Em matrimônios arranjados, o amor começa menor porque geralmente as pessoas não conhecem muito bem uma a outra, mas elas se comprometem em conhecer uma a outra, e o amor aumenta ao longo do tempo. Cinco anos mais tarde, o amor em matrimônios arranjados é mais forte do que o amor em matrimônios de amor, e dez anos mais tarde, o amor em matrimônios arranjados é duas vezes mais forte do que o amor em matrimônios de amor.

“A taxa de divórcio aqui é de 50 por cento para os primeiros matrimônios, de 65 por cento para os segundos matrimônios e para os terceiros matrimônios, ainda mais elevada – assim, a prática não nos ajuda. Na Ásia e em algumas outras culturas, amor é visto como algo que você pode edificar deliberadamente. Há um provérbio Indiano que diz: ‘primeiro vem matrimônios, então vem o amor.’ Se as pessoas podem estar deliberadamente fortalecendo o amor, este processo pode ser embalado de alguma forma para o ocidente?

A Importância do Compromisso

“Neste estudo em particular, eu recrutei pessoas através de redes, e estas pessoas fizeram uma pesquisa muito detalhada no arrangedmarriagesurvey.com. Com certeza você chega nesta tela onde há 36 fatores diferentes, e você pode indicar se estes fatores contribuem ou não para o crescimento do amor ou se de alguma forma enfraquecem o amor em seu relacionamento. Dos 19 participantes do estudo, indivíduos na média conheceram seu cônjuge 14,3 meses antes de se casarem, mas cinco deles somente conheceram seu cônjuge algumas horas antes de se casarem. Neste estudo, na média, tivemos 5,2 em uma escala de 1 a 10 no momento do casamento sobre como estava o amor dos indivíduos por seus cônjuges. No tempo do estudo por vários anos em matrimônios, alcançamos 9,3.

“Os principais fatores são sacrifício e compromisso. Esses são fatores que foram identificados como contribuições para o crescimento do amor. No extremo oposto, um fator que contribui para o declínio do amor – álcool. Falando de forma geral, fatores que fazem as pessoas se sentirem vulneráveis umas com as outras criam e fortalecem laços emocionais. Compromisso é a expressão definitiva de vulnerabilidade para uma pessoa, e isto é o que acontece nestas grandes cerimônias de matrimônio [a Bênção do Matrimônio]. Vocês estão tornando as pessoas vulneráveis umas com as outras. Mas não temos que esperar que isso aconteça por acaso. Podemos fazer isso acontecer, podemos ficar vulneráveis uns com os outros em todos os tipos de formas diferentes – em tradicionais formas românticas, mas também indo em uma montanha russa com seu parceiro. Vocês podem ir para um culto religioso. Há centenas de coisas que vocês podem fazer. Com base em pesquisas científicas e minhas próprias pesquisas, eu desenvolvi mais de 30 exercícios que as pessoas podem fazer para fortalecer um laço emocional.

“Infelizmente, compromisso é algo que não somos mais bons neste país. Este é um problema sério, porque compromisso é a expressão definitiva de vulnerabilidade e que mantém um laço forte. Podemos ser entregues? Podemos assumir controle de nossas vidas amorosas? A resposta é sim. O que precisamos fazer é trabalhar juntos, os cientistas e aqueles na comunidade religiosa, para passar a mensagem para a comunidade maior – porque esta comunidade perdeu a esperança. Precisamos dar a eles uma base para a esperança. E precisamos dar a eles a ferramenta para que possam assumir controle sobre suas vidas amorosas. Esta é uma forma de evitar a destruição do matrimônio. Isto também significa que podemos ficar juntos com pessoas com quem estamos realmente adequados. Podemos realmente ficar juntos não por paixão, mas ficar juntos com alguém que tem valores e interesses semelhantes, e edificar um tipo de amor que ficará mais forte ao longo dos anos. Podemos assumir o controle sobre nossas vidas amorosas. Muito obrigado.”

Considerações de Andrew Love e Uyanga Khuukhnee

Os Unificacionistas de Primeira Geração Andrew Love e Uyanga Khuukhnee animaram a platéia com um relato divertido de seus processo de “noivado.”

Os Unificacionistas de Primeira Geração Andrew Love e Uyanga Khuukhnee, que se encontraram através de recomendações de conselheiros espirituais e auxiliares de noivado dentro da comunidade da Igreja de Unificação, apresentaram suas histórias sobre seu processo de noivado.

Love disse: “Eu tenho trinta anos de idade e venho de Toronto no Canadá, onde eu estudei comédia. Eu estudei isto em uma escola. Eles realmente ensinam isso. Então por causa das minhas habilidades, fui para a Califórnia apresentá-las para o mundo. Eu estava indo muito bem, mas então encontrei a Igreja de Unificação e tudo se transformou em algo muito diferente do que eu imaginava. Até aquele momento, eu era um ateu duramente alinhado que gostava de fazer piadas sobre Deus e sobre as pessoas que acreditavam em Deus.

“Quando comecei a aprender sobre o Princípio Divino, isto realmente mudou a minha essência e não pude mais negar a existência de Deus. Eu sou um membro por três anos até agora, comprometido em descobrir se há um Deus, e se Ele existe, como é esse Deus, e então fui surpreendido pelo retumbante ‘Sim, Deus existe e Deus é belo.’ Agora sinto que estou pronto para assumir uma parceria. Isto aconteceu muito naturalmente, Há uma tradição que as pessoas que nascem neste igreja são escolhidas por seus pais, mas sendo que meus pais estão fora desta igreja ou de qualquer outra crença para esse assunto, eu busquei o auxílio de um conselheiro, um profissional.

“Até este momento – sinto muito em dizer isto – eu nem mesmo sabia que a Mongólia ainda existia. Eu pensava que era algo como os Astecas, que surgiram e se foram, como um império perdido. E agora estou comprometido com uma mulher da Mongólia! Hei, como isso funciona? Deus, obrigado! Eu fiquei encantado com o que tenho aprendido através desta experiência, sobre a Mongólia, mas também sobre mim mesmo. Ela está me ensinando muito sobre mim mesmo e tenho crescido bastante apenas nos últimos sete meses. Eu que tinha sido completamente ignorante sobre os Mongóis em geral, agora estou planejando ter muitos pequenos Genghis Khans correndo ao redor da minha casa. Eu não poderia estar em mais êxtase. Estou tão entusiasmado sobre meu futuro, e apenas quero agradecer a Igreja de Unificação e aos Verdadeiros Pais, o Rev. e Sra. Sun Myung Moon, por permitir isto acontecer.”

Uyanga Khuukhnee disse aos participantes: “Eu tenho 31 anos, e sou da Mongólia. Eu me juntei à Igreja de Unificação em 1999 na Mongólia, e pelos primeiros 13 anos trabalhei para a Igreja e organizações não governamentais.  E então, eu encontrei este canadense. Nós vamos para a Bênção do Matrimônio. Hoje, estou feliz. Podemos criar uma família saudável e forte. E também, nossos fundamentos são totalmente diferentes. Eu venho do mundo asiático e ele é ocidental. Idioma diferente, cultura diferente e raça diferente. Nossas duas famílias se juntarão através de nós e ajudaremos a criar um mundo alegre e pacífico. Obrigada.”

De acordo com o Rev. Schanker, matrimônios interreligiosos, interculturais e internacionais têm sido a forte ênfase do Pai Moon por todo o seu ministério a fim de transcender e derrubar as barreiras do ressentimento que dividiram a família por toda a história humana.

Considerações de Jan Pearson e Inja Angelino

Os Unificacionistas de Segunda Geração Jan Pearson e Inja Angelino testemunharam sobre seu namoro e seu entusiasmo em participar da próxima Bênção.

Os Unificacionistas de Segunda Geração Jan Pearson e Inja Angelino, que participarão da Bênção do Matrimônio no Manhattan Center no dia 23 de março, foram os oradores finais no evento.

Pearson, 22 anos, originalmente de Minnesota, começou com sua experência crescendo na igreja: “Meu pais se casaram em 1982, no Madison Square Garden, e por causa disso, eu cresci nesta igreja. Foi incrível. Eu sempre gostei de aprender sobre nossa fé e no que acreditamos. Porque nossa fé coloca ênfase na família, Inja e eu decidimos ir até nossos pais e tê-los fortemente envolvidos em nosso processo de noivado. Antes que eu realmente falasse com Inja, eu dei aos meus pais uma lista de pessoas que eu poderia considerar como um cônjuge. O nome dela estava na lista. E meus pais conversaram com os pais dela. Ao invés de nós passarmos por um processo de namoro, tivemos um processo de conhecimento depois que nossos pais tinham conhecido uns aos outros. Por causa desse processo, eu pude conhecer melhor meus pais, e isto ajudou nosso relacionamento também. Eu não sei se vocês sabem o que é confiar em alguém para encontrar seu esposo ou esposa, mas você deve ter muita fé, e você deve confia muito mais nessa pessoa.”

“No dia 23 de março, Inja e eu iremos para a Bênção. Isso é super excitante por muitas razões, mas uma razão em particular é que muitos de nossos amigos vão se casar juntos conosco no mesmo lugar. Temos esses amigos para contar no futuro, para o apoio e conselho. E também, estamos realmente entusiasmados porque nosso casamento não é apenas baseado em nós mesmos. Não é apenas meu compromisso com Inja que me permite sentir que podemos ter sucesso, mas é também nosso compromisso com Deus e nossa fé.”

Inja Angelino, 21 anos, que está estudando nutrição na Universidade Montclair, disse: “Eu sempre senti que podia confiar em meus pais para encontrar um esposo para mim. Eles foram aqueles que me educaram e me conheciam melhor do que qualquer outra pessoa. Eu sempre tive confiança que eles podiam encontrar a melhor pessoa para mim, alguém que tivesse valores semelhantes e uma visão semelhante para meu futuro. Uma grande parte dessa visão era criar uma família forte e amorosa. Faz pouvo mais de dois anos, mas realmente estamos nos preparando e realmente estamos entusiasmados para isso.”

Contribuição: Ariana Moon
Tradução: Marcos Alonso

Anúncios

2 Comments

  1. BOA NOITE IRMÃOS UNIFICACIONISTAS MORO EM GOVENADOR ARCHER MA E DESEJO RECEBER EM MEU ENDEREÇO MATERIAL DE ESTUDO SOBRE OS PRINCÍPIOS DA UNIFICAÇÃO RECONHEÇO QUE TODA LEITURA SOBRE OS ENSINAMENTOS SOBRE O PRINCÍPIO DIVINO SÃO VERDADEIROS, E GOSTARIA DE CONHECER MAIS SOBRE A IGREJA MEU ENDEREÇO PARA CONTATO É RUA 7 DE SETEMBRO N 125 CENTRO GOV. ARCHER MA CEP 6770000 MANDEM TODO MATERIAL QUE DESEJAREM POIS PELO FRETE COM MUITO RESPEITO E ADMIRAÇÃO STENIO CARLOS

    Gostar

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s