Você é o Líder!

Um líder deve aprender a tomar boas decisões. Isso é verdadeiro para o líder de um país, uma corporação, ou uma família. Somos os líderes de nossas próprias vidas. Ativamente formatamos nosso futuro pelas decisões que tomamos agora. As sementes do amanhã são plantadas pelas escolhas que fazemos hoje. Isto é excitante! Você decidirá seu próprio destino. Você está encarregado de seu próprio futuro. Você sozinho é o líder em seu próprio caminho de vida.

Naturalmente, todos somos fortemente influenciados por nosso ambiente. Nascemos em uma família específica, e crescemos em uma sociedade específica com valores específicos. Contudo, embora essas coisas possam limitar nossas opções na vida, não estamos completamente limitados por elas. Como seres humanos, temos a liberdade para ponderar nossas opções e escolher entre elas. Possuímos criatividade e imaginação, as quais nos capacitam a responder as situações de diferentes formas. Podemos mudar nossas circunstâncias pelas decisões que tomamos. Cada decisão que tomamos nos altera de alguma maneira. Portanto, tomar boas decisões é importante. Por exemplo, se enfrentamos um obstáculo e decidimos desistir, se torna mais fácil fazer a mesma coisa da próxima vez, até que se torne um hábito desistir. Podemos acabar convencendo a nós mesmos que somos totalmente inúteis e incompetentes. Por outro lado, se decidimos enfrentar e superar algum desafio, desenvolvemos a confiança para fazer isso novamente – e novamente. Quando isto se torna nosso hábito, acabamos com um caráter mais forte e com mais força de vontade. Tomar as decisões certas nos faz bons líderes de nossas vidas.

Uma Dura, mas Boa Decisão

Em 1863, o Presidente Abraham Lincoln teve uma dura decisão a tomar. Ele teve que decidir se deveria libertar os escravos nos Estados Unidos. Naturalmente, sabemos hoje que escravidão é errado. As pessoas nem sempre souberam isto. No passado, algumas pessoas pensavam que escravidão era bom. Na década de 1860, os Estados Unidos estavam em uma guerra civil – Norte contra o Sul. A maioria dos estados do Norte não tinha escravidão. Os estados do Sul tinham escravidão. O Norte queria um único país, uma única União, mesmo se alguns estados tivessem escravidão. O Sul queria seu próprio país separado, com a escravidão como uma regra.  Lincoln não tinha certeza que a nação aceitaria a libertação dos escravos. O Norte lutaria para manter o país unido – pela União – mas Lincoln não estava certo que eles lutariam para libertar os escravos. Lincoln tinha uma eleição se aproximando, a qual ele pensou que poderia perder. E, além disso, a guerra não seria boa para o lado do Norte.  Contudo, Lincoln decidiu fazer o que era moralmente certo. Ele libertou os escravos. Esta foi uma decisão revolucionária. A Proclamação da Emancipação em 1° de janeiro de 1863, declarou que os escravos seriam “livres para sempre”. Reuniões e revoltas romperam contra Lincoln no Norte por causa desta decisão.  Contudo, por causa desta decisão, pessoas anteriormente escravas entraram para o exército da União em grande número para vencer a guerra. Por causa desta decisão, muitas pessoas de bem em outros países começaram a apoiar o Norte ao invés do Sul, porque elas também eram contra a escravidão. Poderia ser dito que esta decisão venceu a guerra. Historiadores ao redor do mundo consideram Abraham Lincoln como um dos maiores presidentes americanos. Libertar os escravos é considerado seu ato mais importante. O próprio Lincoln falou sobre sua dura, mas boa decisão: “Se meu nome ficará na história, será por este motivo”.

Toda decisão tem conseqüências. Gostemos disso ou não, experimentaremos as conseqüências de nossas decisões. Somos livres para escolher o que fazer ou não fazer, mas ninguém está livre das conseqüências de suas decisões – devemos assumir responsabilidade por nossas escolhas ou ações. Assim, a liberdade de tomar decisões e a responsabilidade pelas conseqüências dessas decisões seguem de mãos dadas.

Somos livres para escolher o que fazer ou não fazer, mas não estamos livres das conseqüências de nossas decisões.

A despeito do fato de que a maioria das pessoas concordaria que somos responsáveis por nossas decisões, muitos de nós somos surpreendentemente descuidados ao decidir o que fazer e como agir. Deveríamos ser assim? Todos os dias de nossas vidas estamos envolvidos em tomadas de decisões. Algumas são pequenas enquanto outras são de vital importância. Como tomamos decisões? Há sempre uma decisão certa ou melhor? O que devemos fazer se compreendemos que cometemos um engano?

Anúncios

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s