Assumindo a Condução na Compreensão do Outro

Em um relacionamento saudável, cada lado busca primeiramente compreender o outro, então estar preocupado em ser compreendido. Em um relacionamento insalubre, cada lado está mais preocupado em ser ouvido e compreendido, ao invés de reservar um tempo para compreender o outro lado.

Compreender o outro requer considerar o ponto de vista da outra pessoa, ao invés de apenas o nosso próprio. Compreender os outros e seus pontos de vistas é importante. Quanto mais compreendemos os outros, mais podemos respeitar e valorizá-los. Precisamos enxergar as situações e problemas que eles enfrentam através de seus olhos. Cada um de nós pode assumir a condução na compreensão dos outros.

OUVIR COM EMPATIA

Uma maneira de compreender os outros é através do ouvir com empatia. Isto significa ouvir para compreender uma situação a partir do ponto de vista da outra pessoa. Ter empatia significa compreender completa e profundamente a outra pessoa, sentindo as coisas com ela sente.

Muito mais está envolvido em ouvir com empatia, do que simplesmente entender as palavras que estão sendo faladas. Fazemos bem em não ouvir somente com nossos ouvidos, mas também com nossos corações.

Quando as pessoas falam conosco, sabemos que nem sempre damos a elas nossa total atenção. Podemos fingir ouvir, dizendo, “Sim,” “Ahan,” ou “certo”, mas nossas mentes e atenção estão de fato em qualquer outro lugar. Às vezes até mesmo ignoramos alguém que está tentando falar conosco. Mesmo se ouvimos atentamente, estamos mais concentrados no assunto ao invés de estarmos concentrados no que está dentro da outra pessoa. Pouquíssimas pessoas praticam ouvir com empatia – a mais elevada qualidade do ouvir.

John: Eu não posso entender meu irmãozinho. Ele apenas não quer me ouvir.

David: Você não entende seu irmãozinho porque ele não quer ouvir você?

John: É isso aí.

David: Eu pensei que para entender alguém você precisava ouvir ele.

John: Oh, sim! (pausa) Bem, eu o entendo. Eu sei o que ele está atravessando, porque eu mesmo atravessei a mesma coisa. O que eu não entendo é porque ele não quer me ouvir.

Na realidade, John não tem idéia real do que está se passando dentro da cabeça de seu irmãozinho. Ele está somente conectado com o que está em sua própria mente e somente imagina que sabe o que seu irmãozinho está atravessando. É com certeza mais fácil olhar a partir de nosso próprio ponto de vista. Geralmente queremos que os outros também olhem este ponto de vista ao invés de tentar entender o ponto de vista deles.

Ao ouvir com empatia, tentamos compreender o que está passando nas mentes e corações das outras pessoas. Não assumimos automaticamente que a outra pessoa enxerga o mundo da maneira como enxergamos. Ao invés, sinceramente nos abrimos para o que os outros estão dizendo.

Buscar compreender requer humildade e consideração pelos outros. Uma vez que tenhamos assumido a condução na compreensão dos outros, então podemos pedir para sermos compreendidos.

PEQUENOS PROBLEMAS DE COMUNICAÇÃO

A origem de muitas dificuldades na compreensão da outra pessoa está nas expectativas não muito claras, que tendem a tornar nebulosas as tentativas de comunicação. Se é a comunicação de uma mãe com seu filho sobre as tarefas de casa, ou um gerente do escritório tratando com o trabalho de sua equipe, expectativas obscuras podem conduzir para desentendimentos, desapontamentos e desconfiança.

 Trabalho de Verão de Dorothy

Dorothy tinha um trabalho durante o verão para economizar dinheiro para a faculdade. Ela era assistente de um dos diretores de uma empresa. Ela trabalhava duro para ele e fazia o que quer que ele pedisse para fazer no escritório. Ele estava satisfeito com o trabalho dela, e Dorothy estava feliz.

Entretanto, depois de certo tempo, Dorothy percebeu que as secretárias no escritório se tornaram mais e mais zangadas com ela. Quando pedia para elas fazerem alguma coisa, elas ficavam reclamando, e Dorothy pôde ver que elas estavam dizendo coisas ruins nas suas costas. Estava se tornando muito ruim até mesmo ir trabalhar. Finalmente, ela perguntou ao diretor se ele sabia o que estava errado.

“Oh”, ele disse. Parte do que você deve fazer é assistir as secretárias também. Elas estão esperando que você arrume os arquivos que elas não podem terminar todos os dias. Elas estão furiosas porque você não está as ajudando”.

Dorothy disse: “Eu não sabia que devia fazer isso.”

“Bem, eu nunca disse a você que devia ajudá-las,” ele disse. “Eu tinha mais do que o suficiente para você fazer. Mas eu sugiro que a partir de agora em diante você deva compartilhar alguns dos trabalhos delas, se quer ser simpática com elas. Elas estão esperando que você as ajude.”

Dorothy começou a oferecer sua assistência para as secretárias depois dessa conversa. Elas então se tornaram mais amáveis com ela. Quando ela parou de trabalhar na empresa para voltar para a faculdade, ela esperava que alguém tivesse dito claramente o que se esperava que ela fizesse. Dessa forma, ela poderia ter evitado muitas das situações ruins.

As pessoas freqüentemente possuem expectativas não expressadas externamente, mas que são assumidas. Em um matrimônio, esposo e esposa geralmente possuem expectativas um do outro. Eles freqüentemente esperam que o outro tenha atitudes da forma como sua própria mãe ou seu próprio pai tinham. Embora estas expectativas possam não ter sido comunicadas ou até mesmo reconhecidas conscientemente, muito menos terem sido acordadas, elas podem criar atrito, quando não atendidas.

A mesma coisa ocorre na amizade. Uma pessoa pode ter expectativas não ditas de como um amigo deveria agir. A outra pessoa pode não estar ciente do que é esperado e acabará ferindo os sentimentos da outra pessoa. Por exemplo, uma amiga pode esperar que seja convidada para qualquer momento divertido que sua melhor amiga vá. A segunda amiga pode sentir que é óbvio que elas terão outras amigas com as quais fazer coisas separadamente às vezes.  Estas expectativas não ditas conduzirão aos maus entendidos e ferirá sentimentos, a menos que sejam colocadas para fora e discutidas.

Às vezes isto exige bastante coragem, tornar claras nossas expectativas nos relacionamentos. Pode parecer mais fácil fingir que diferenças não existem e esperar que as coisas de alguma forma funcionarão. Entretanto, no longo prazo, é melhor admitir nossas diferenças. Se todos sabem onde os outros estão colocados, há uma oportunidade melhor de encontrar áreas de sólida concordância. Pequenos maus entendidos podem se tornar complicados, conduzindo à desconfiança, conflitos, dor, e rompimento de comunicação.

Anúncios

1 Comment

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s