Um Líder Vive Altruisticamente

Quando olhamos ao redor, compreendemos que o mundo não é da forma como gostaríamos que ele fosse. Parece haver problemas por todo lugar. Muitas coisas que sentimos são erradas ou injustas – seja em casa, na escola, ou no âmbito mundial. O que deveríamos fazer?

large

Por um lado, é tentador estarmos ocupados reformando todas as coisas (exceto a nós mesmos). Por outro lado, é tentador estarmos distantes do que acontece ao nosso redor, e apenas nos concentrarmos em nossas próprias vidas.  Contudo, não podemos simplesmente viver para nós mesmos e ignorarmos o resto do mundo. As pessoas são seres sociais, e elas precisam de relacionamentos e conexões com outras pessoas. Também entendemos que uma vida cheia de propósito e significado é aquela que contribui para algo maior do que para nós mesmos. As pessoas encontram significado ao fazer coisas por suas famílias, suas escolas, suas comunidades, suas nações, e o mundo inteiro. Tal altruísmo traz alegria, energia, e realização para uma pessoa.

Kevin – um adolescente líder

“Kevin! Kevin!” Esse parecia ser o único nome no parque naquele dia. Todos queriam a atenção e a companhia de Kevin, e todos estavam chamando seu nome.

Kevin foi um adolescente que viveu para servir os outros. Ele gastava o dinheiro de seu bolso para comprar lanches e guloseimas para as outras crianças. (Sua mãe imaginava porque ele sempre estava sem dinheiro!) Quando outra criança se machucava, Kevin levaria ele ou ela para sua casa, limpava o ferimento e fazia um curativo ou ligava para os pais da criança. Quando as crianças precisavam ir para casa depois de escurecer, Kevin tentava arrumar uma carona para eles, ou caminhava com elas até suas casas. Ele freqüentemente trazia água para as outras crianças no parque em dias quentes, ou trazia as crianças até a porta de sua cozinha e pedia para sua mãe dar suco ou água gelada para elas.

Por causa das tantas vezes que ele ajudava os outros, as outras crianças sempre recorriam ao Kevin para mediar discussões no parque e na quadra de basquete. Kevin era capaz de acalmar temperamentos das pessoas para que elas pudessem conversar sobre seus problemas. Ele evitava brigas ajudando as crianças a vencerem sua raiva com palavras ao invés de brigas. Sendo que ele era excelente nos esportes, as crianças confiavam nele para decidir quaisquer questões ou discussões sobre as regras em um jogo. Elas sabiam que ele seria justo.

“Porque todos estão sempre chamando ‘Kevin! Kevin’?” um menino invejoso da vizinhança reclamou.

“Ele é o líder!” as outras crianças disseram para ele.

Uma pessoa que vive sempre pensando sobre os outros se torna uma pessoa central – a pessoa para quem todos se voltam e querem estar ao redor. Ele ou ela é o centro e o foco das atividades e da energia. Tal pessoa é um líder natural.

COMO VIVEMOS DE UMA MANEIRA ALTRUÍSTA?

Viver altruistamente é o carimbo oficial da liderança, e pode fazer de nós, como fez com Kevin, o líder entre nossos amigos. Assim, como vivemos pelos outros?

Isto começa tendo compaixão pelas pessoas. Compaixão significa ser capaz de compreender a situação das outras pessoas e responder de alguma maneira para tentar aliviar qualquer sofrimento e angústia.

O Bom Samaritano – um líder em fazer boas ações

O Bom Samaritano no Novo Testamento é tão famoso que há milhares de hospitais, centros comunitários, e grupos de caridade ao redor do mundo denominados “O Bom Samaritano”. Jornais às vezes utilizam o título em suas manchetes para descrever alguém fazendo uma boa ação: “Bom samaritano salva criança diante de um carro,” e assim por diante. A estória do Bom Samaritano nos diz duas coisas muito importantes: que devemos ajudar os outros quando vemos elas em necessidade, e que qualquer um pode fazer boas coisas para o benefício de ajudar os outros.

O Bom Samaritano pertencia a uma religião “sem grupo.” Os líderes na cidade observavam este grupo. Ainda, quando um homem era roubado, espancado, e deixado para morrer ao lado da estrada, era o Bom Samaritano que parava e ajudava. Ele limpava e fazia curativos nas feridas do homem, ele o auxiliaria com uma hospedagem, ele mesmo pagaria a hospedagem, e mais tarde voltaria para verificar os ferimentos do homem para ter certeza que estava tudo bem. Ele provavelmente salvou a vida do homem. Assim, o Bom Samaritano demonstrou que ele era mais verdadeiro líder do que as importantes pessoas na cidade, que caminharam rápido ao passar pelo homem ferido e não se incomodaram em ajudá-lo.

Precisamos perceber quando as pessoas precisam de nossa ajuda. Precisamos ser capazes de sentir a dor e sofrimento deles, e querer aliviar isto pelo benefício deles, e não para nós mesmos. Então devemos agir.

A estória do Bom Samaritano revela a natureza incondicional de ações verdadeiramente boas. O Samaritano não parou de pensar que tipo de benefício ele obteria de suas boas ações. Ele não procurou ser um líder. Ao contrário, ele deu incondicionalmente o que ele tinha para o bem-estar de um estranho.

Tem sido discutido que o Bom Samaritano fez isto ao risco de si mesmo. O homem foi roubado e espancado em um trecho isolado da estrada conhecido por ataques de bandidos. Ao parar para ajudar, o Bom Samaritano expôs a si mesmo ao perigo de um ataque de bandidos. Ele agiu por suas próprias posses também – seguramente ele teria preferido gastar o dinheiro que ele deu para a hospedagem. Contudo ele não fez isto. Ele deu de seu tempo, seu esforço, e recursos para ajudar outra pessoa. Ele tem sido um líder admirado e exemplar.

Verdadeiramente boas ações são feitas puramente para o benefício dos outros. Se alguém faz algo pelos outros, mas está motivado pela expectativa de uma recompensa, isto dificilmente pode ser chamado de uma boa ação (embora isto possa parecer assim). Nossas ações são verdadeiramente boas somente quando ajudamos sinceramente com um coração puro. Freqüentemente essas boas ações não nos trazem recompensas externas – elas são de fato um custo! E outras pessoas podem nem mesmo notar o que temos feito. E verdadeira recompensa, não solicitada e inesperada, é nossa própria sensação interna de paz e alegria.

a_aaa-just-a-little-humanity

Há uma maneira segura de se tornar uma boa pessoa e um verdadeiro líder – cuidar dos outros com uma motivação pura. Primeiramente, isto pode ser difícil. Às vezes podemos ter que nos empurrar, mas se continuamos com isto, certamente descobriremos que isto se torna muito natural, e até mesmo mais fácil viver altruistamente. Fazer boas ações traz a maior alegria, e isto nos estimula a fazer outras boas ações. Fazer boas ações pelos outros gera todos os tipos de energia positiva em nossas vidas e no nosso mundo. Nos tornamos um centro de geração de bondade – e esse é um verdadeiro líder.

Anúncios

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s