Fomentando a Unidade de Mente e Corpo

O cuidado da sociedade contemporânea pela máxima liberdade e autonomia do indivíduo apresenta desafios para aqueles que se disciplinam, e que fortalecem a vontade moral daqueles sob seus cuidados. Por um lado, a sociedade impõe muito menos controles externos no comportamento individual do que tradicionalmente; expectativas sociais são bastante frouxas sobre todas as questões desde etiqueta até comportamento sexual. Isto sugeriria que o local do controle deve residir dentro do indivíduo como nunca antes. Por outro lado, provavelmente nunca houve antes menos apoio social para o autocontrole individual. A sociedade ocidental orientada ao consumidor exalta o conforto e autoindulgência e despreza a contenção e disciplina. Incutir autocontrole em si mesmo ou nos outros vai contra a tendência cultural.

Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam […]. – Romanos 8:28

Contudo, esta é uma tarefa essencial. “Conquistar a realidade do corpo é uma responsabilidade surpreendente que cada pessoa deve assumir,” afirma o Reverendo Moon.  As tradições religiosas são claras em suas recomendações do caminho para a unidade de mente e corpo. Há dois meios básicos. Um é enfraquecer a influência do corpo pela negação de seus desejos. “Apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus,” exorta São Paulo (Romanos 12.1). O outro é reforçar o poder da mente através de vários métodos, incluindo oração, estudo, respeito pelos pais e outras medidas bem conhecidas.

A luta pelo controle dos apetites e paixões não tem levado ao excesso anti-físico em função do outro mundo. O desafio é estabelecer a ordem adequada entre mente e corpo, para que ambos possam funcionar da melhor forma.

Enfraquecendo o Poder do Corpo
1. Privações
2. Obediência e autonegação
3. Viver com Simplicidade

O primeiro método é reduzir a influência do corpo. Isto consiste de escolher deliberadamente controlar ou até mesmo desconsiderar a preocupação do corpo com conforto e controle.

1. Privações

Um meio básico é através do jejum e outras privações. Estes diminuem o controle habitual do corpo e ambiente material sobre os desejos espirituais e morais para tornar mais fácil para a mente se afirmar. Meditação, oração e reflexão podem vir mais claramente e prontamente. “A primeira semana do Ramadan é realmente difícil,” relata um estudante universitário. “Eu fico realmente cansado e faminto ao anoitecer. Mas depois disso, eu começo a me sentir leve e realmente bem, e não sinto mais fome. Eu fico mais em contato comigo mesmo, mais ciente das outras pessoas, mais sensível às bênçãos de Deus em minha vida.” Tais momentos de profunda alegria e liberação são a motivação por trás das práticas às vezes extremas dos ascetas medievais. Um dos efeitos secundários do jejum é trazer à tona outros impulsos autocentrados que exercem muito controle — como reclamação, raiva, impaciência ou inveja — que podem ser habitualmente reprimidos pela dependência de distrações físicas.

Superar estes juntamente com o desconforto físico desenvolve a força espiritual. Além do jejum, há outras formas de minar o poder do corpo. Reduzir o sono levantando cedo para devoções matinais é uma forma comum. Suportar desconforto é outra, tal como submeter-se a banhos frios ou trabalho físico duro. Combater qualquer hábito improdutivo é uma forma simples para ficar no comando de si mesmo. “Deixei de fumar a dois anos,” declara um gerente de restaurante, “e agora eu observo algo melhor em mim mesmo de uma forma pequena. Então eu parei de assistir as notícias por algumas semanas e cortei meu café da manhã por algum tempo, apenas para mostrar para mim mesmo que posso viver sem isto.” A prática de castidade é um meio potente de manter a força da carne em equilíbrio.

2. Obediência e autonegação

Outro meio para enfraquecer o corpo é através de uma vida de obediência ativa e submissão a uma autoridade mais elevada, seja um princípio moral ou espiritual, Deus ou país, ou algo mais. Isto envolve autonegação — superar a tendência em direção à autoafirmação e rebelião para seu próprio benefício e atitudes imaturas como orgulho egoísta. O treinamento militar é o exemplo óbvio sobre obediência. Membros das forças armadas aprendem a dominar suas próprias tendências egoístas para se tornarem parte de um grupo efetivo e serem sensíveis às ordens de forma confiável. Esportes coletivos são outro meio desse treinamento. Se espera que os membros neguem seus desejos de glória pessoal e deem seu melhor para o benefício da equipe.

3. Viver com Simplicidade

Simplicidade no estilo de vida pode ser comparada com evitar a idolatria material. Esta é a escolha para manter uma ênfase espiritual e abordagem racional em relação à propriedade. O excesso de bens materiais e pressão constante das propagandas para consumir mais e adquirir mais, promovem uma forma autoindulgente de vida onde conforto e diversão assumem importância exagerada. Simplicidade resiste a isto e auxilia a manter um equilíbrio adequado de mente e corpo. Adotar determinada austeridade sobre as posses significa a preferência da substância sobre o estilo e lembrar a diferença entre necessidades e desejos.

Simplicidade evita a dívida com um fardo opressivo que rouba a paz da mente e restringe a capacidade para dar. Como os israelitas no deserto que foram instruídos a pegarem apenas do maná e codornizes que precisavam para o dia, simplicidade significa resistir à tentação de acumular e confiar na provisão de amanhã. “Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber, nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir,” Jesus declarou, “não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário?” (Mateus 6.25). Ele está dando um lembrete que o Pai Celeste é mais capaz de cuidar daqueles que mantêm prioridade do espírito sobre a carne. “Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça,” e as necessidades materiais serão cuidadas também (Mateus 6.33). Implícita no viver com simplicidade está uma confiança nos tesouros do coração para trazer felicidade ao invés de satisfação do corpo, uma fé que a verdadeira riqueza está no amor e no crescimento espiritual, não na abundância das coisas. Isto reconhece que Deus é a verdadeira fonte da propriedade e segurança material.

2 Timóteo 1:7

Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio. – 2 Timóteo 1:7

Fortalecer o Poder da Mente
1. Determinar e realizar objetivos
2. Amor Verdadeiro como motivação
3. Agir na fé
4. Serviço
5. Conexão com Deus

Ao mesmo tempo em que o corpo é subjugado, a mente precisa ser impulsionada em poder. A essência de fortalecer a mente é enrijecer a vontade moral. Isto, como fibra muscular, é construído pelo hábito diário, pelas constantes pequenas escolhas para fazer a coisa certa a despeito do medo, da angústia e do cansaço. A este respeito, os indivíduos precisam de desafios — sejam dados ou auto impostos — que lhes permitem encontrar adversidades como ocasiões para endurecer sua fibra moral e
desenvolver a força de vontade interior.

 1. Determinar e realizar objetivos

Um curso mais básico para fortalecer a vontade e a autodisciplina é fazer determinações para si mesmo e para Deus, e alcançá-las. Isto pode ser tão simples como telefonar para um parente aflito antes de desfrutar um livro ou tão envolvente como decidir a carreira para estar mais a serviço da humanidade. Ainda mais desafiante é definir objetivos que dependam principalmente do poder espiritual, alimentado pela oração, estudo da verdade espiritual e ações de amor. “Doze anos atrás quando eu vim pela primeira vez para Mountainview High,” lembra um professor de física em uma escola rural no meio oeste da América, “eu jurei que juntaria os estudantes brancos e os nativos de uma forma tangível. Eu orava sobre isto todos os dias, coloquei meu pescoço em risco muitas vezes, fui mal entendido muitas vezes e uma vez quase perdi meu emprego. Mas agora na faculdade há amizades interculturais se desenvolvendo e este ano o presidente do conselho estudantil é um rapaz nativo americano.”

Fazer promessas para Deus, e cumpri-las é significativo para reverter a história de traição entre o Criador e a humanidade, para não mencionar como isto constrói auto respeito e fé em si mesmo. Como tal, talvez esta seja a forma mais poderosa para atrair o apoio divino. Aquele que pode sempre estar disponível para cumprir suas promessas e assumir suas responsabilidades é notado não somente pelas outras pessoas, mas também e especialmente pelo Céu.

2. Amor Verdadeiro como Motivação

Motivação capacita a vontade a ir além do desconforto. Por sua vez, essa motivação depende de propósitos significativos que fazem sacrifícios envolvidos com coisas dignas. A motivação mais forte é amor verdadeiro; “amor é a chave para unificação de
mente e corpo,” afirma o Reverendo Moon. Este poder do amor é familiar para os pais. Dick Hoyt, 62 anos, competiu em todas as Maratonas de Boston por mais de 20 anos empurrando seu filho adulto paralisado, Rick, em uma cadeira de rodas. Em 1999 eles se tornaram a primeira equipe a terminar o Campeonato Mundial Ironman Triathlon.

Isto começou quando o adolescente Rick pediu para seu pai empurrá-lo em uma corrida local. Quando eles terminaram, o rapaz entusiasmado declarou, “Foi como se eu não fosse deficiente.” Isso foi suficiente para comover seu pai para o desafio de todas as suas limitações físicas para dar a ele essa experiência de novo e de novo. O poder do amor está por trás dos sacrifícios heroicos da tradição religiosa e nacional. Muitos dos primeiros peregrinos da América do Norte morreram de fome enquanto o grupo resistia comendo suas sementes — destinadas à plantação — durante seu primeiro inverno miserável por causa do amor e esperança pela próxima geração para edificar uma comunidade onde eles pudessem adorar livremente.

Cristãos lembram como São Pedro enfrentou sua dolorosa execução de cabeça para baixo com gratidão e amor a Deus e seu Salvador. Seja de proporções legendárias ou pequenos atos cotidianos de altruísmo, amor verdadeiro é o meio mais forte de subjugar o corpo.

3. Agir na Fé

As pessoas podem mobilizar tremendos poderes de autocontrole quando podem sustentar sua visão para o futuro, a despeito dos obstáculos diante delas. Debi Faris é uma mulher que sabe o que é gostar de atender ao chamado de seu coração e  consciência na fé. Uma esposa e mãe de três adolescentes, ela ouviu sobre um bebê abandonado encontrado morto em sua cidade de Calimesa, Califórnia, e estava disposta a dar à criança um funeral e sepultamento adequado. Sua família de classe média tinha se comprometido com os custos, em última análise $27.000, a despeito de outras despesas urgentes. “Eu lembro de orar, ‘eu acho que não posso fazer isto. Deus, eu não acho que tenho essa coragem,’” ela lembra. “Eu fiquei quieta por algum tempo até que senti que o que estávamos fazendo estava certo. Foi um gesto de amor, e naquele momento eu fiz um compromisso de oferecer isto para qualquer criança que precisasse.” A partir de então ela organizou os fundos e voluntários para encontrar um cemitério para bebês abandonados, o Jardim dos Anjos, e está lutando por uma legislação que evite essas tragédias.

Se está acreditando nos próprios dons da pessoa ou na inevitabilidade do triunfo da verdade e do bem, aqueles que têm cultivado o poder da fé e da esperança — que “temos o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem,” nas palavras da Bíblia (Hebreus 11.1) — temos uma vantagem inestimável que nos capacita a organizar os recursos mais fortes para unir mente e corpo.

4. Serviço

Serviço físico aos outros — massagear as costas de uma pessoa idosa, preparar bacias de salada para um abrigo, pegar o lixo espalhado em uma rua do bairro — é uma prática de ajuda realmente útil para o treinamento da vontade moral, uma vez que eleve a humildade. “Criamos um ponto para apenas demonstrar estar prontos para fazer qualquer trabalho necessário, sem alarde,” lembra um homem de seu grupo de colegas de um clube de serviço. “A equipe do centro de reabilitação ficou surpresa ao ver homens de meia idade dispostos apenas a servir em uma festa, o refrigerante e a comida aos meninos e depois limpar tudo. E isto não foi feito com grande alarde, mesmo tendo feito o trabalho pesado para um bando de adolescentes não muito gratos. Eu acho que aprendi algumas coisas.”

5. Conexão com Deus

Em última análise, todos estes métodos de fortalecimento da vontade moral apoiarão a maior prescrição para a unidade de mente e corpo: através da conexão com a Fonte Divina.

“O primeiro passo é para sua mente se tornar uma unidade com Deus,” diz o Reverendo Moon, “e então seu corpo se tornará unido com sua mente.” Oração, louvor, estudo da escritura, apoio à comunidade espiritual, agir na fé, cumprir determinações, praticar submissão e oferecer serviço — tudo isso são formas consagradas para acessar os Pais Celestiais e enormes fontes de poder. “Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne,” proclama São Paulo (Gálatas 5.16). Quanto mais forte o vínculo, mais prontamente a mente pode conquistar o corpo.

Amar mesmo quando é difícil, exige a capacidade da mente de se afirmar sobre as demandas do corpo. Através dos esforços para reduzir a força da carne, enquanto reforça nossa força moral e espiritual, a mente e corpo podem ser levados à unidade. O coração é assim liberado para doar-se livremente e altruistamente, e colher os frutos ricos disso.

                                      Verdadeiros Pais, nós te amamos! 

FONTE:

Trecho extraído do livro “Educar para o Amor Verdadeiro” por Fundação Educacional Internacional da Associação das Famílias para Unificação e Paz Mundial. Leia o conteúdo na íntegra fazendo o download do livro aqui.  

Anúncios

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s